Este site usa cookies.
Os cookies usados no website não armazenam nenhum dado pessoal.
Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.

Aceitar & continuar a navegar

Voltar para às Novidades

Relatório de Vindima 2016

A vindima de 2016 foi marcada por um tempo atípico. Um Inverno temperado e seco precedeu uma Primavera fria e chuvosa. O verão foi quente e seco, permitindo uma maturação sem perturbações. Por favor clique no link para ler o Relatório completo.

A época de 2015/2016 foi marcada por um tempo atípico. Um Inverno seco e temperado precedeu uma Primavera fria com episódios isolados de chuva. A brotação surgiu na altura prevista, no início de Março, mas os desenvolvimentos fenológicos seguintes atrasaram-se cerca de duas semanas relativamente ao ciclo de crescimento no ano anterior. A chuva significativa em Maio aumentou o risco de doenças fúngicas mas a nossa equipa das vinhas estava atenta e conseguiu evitar perdas maiores. O Verão foi quente e seco, permitindo uma maturação sem perturbações.

A vindima arrancou no final de Agosto com o Aragonez e o Merlot para o Rosé. A apanha durou um mês e meio, do início até ao fim, ligeiramente mais compacta do que o normal, o que significou longos dias atarefados na adega.

A fruta das nossas vinhas na costa alentejana tem demonstrado um potencial enorme, incluindo o Pinot Noir, Sauvignon Blanc, Alvarinho, Loureiro, Arinto e Chardonnay, correlacionada com a maturidade crescente das vinhas. Mais para o interior, nas vinhas na Cortes de Cima, a Syrah, a Touriga Franca e Touriga Nacional têm-se mostrado entusiasmantes.

Resumindo, um ano marcado por um tempo incomum, o que pareceu ter um impacto maior nas nossas vinhas no interior do que nas vinhas perto da costa.