Este site usa cookies.
Os cookies usados no website não armazenam nenhum dado pessoal.
Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.

Aceitar & continuar a navegar

200 ha de vinha, 50 ha de olival, e 100 ha de reflorestação de azinheiros, sobreiros e pinheiros, em redor da casa e da adega.

Cortes de Cima está situada nas encostas dos montes de 400 m de altura da Serra do Mendro. A grande diversidade de terroirs nas nossas vinhas varia entre argila castanha mediterrânica sobre calcário, micaxisto, granito rico em quartzo e cascalho bem graduado.

As nossas vinhas mais velhas, em redor da casa e da adega, foram plantadas em 1991. Os nomes dos nossos vinhos têm origem nessas parcelas de vinha – “Cortes de Cima”, “Chaminé de Gião” e “Courela dos Pageis”.

O significado de Cortes de Cima: Área descoberta cercada ou recinto coberto fechado onde se recolhe o gado, no cimo de uma colina.

Na escolha das nossas variedades assim como do nosso sistema trellis, optámos por seguir as regulações “Vinho Regional” , menos restritivas do que as regras “DOC”.

Em 1991, a Syrah não era permitida em nenhum dos dois regulamentos, mas Hans plantou-a na mesma, convicto de que tínhamos um clima e um tipo de solo ideais para a famosa casta do Ródano. A nossa primeira vindima “quebrando as regras” de Syrah, em 1998, foi engarrafada como «Incógnito», e rapidamente conquistou elogios e notoriedade em Portugal, e medalhas representativas de prémios ganhos em Londres, Bruxelas e Bordéus.

Castas tintas na Cortes de Cima

  • Aragonez
  • Touriga Nacional
  • Touriga Franca
  • Trincadeira
  • Tinta Miuda
  • Alicante Bouschet
  • Syrah
  • Petit Verdot
  • Cabernet Sauvignon

Castas brancas na Cortes de Cima

  • Gouveio
  • Viognier

vinhas da Costa